01/04/2009

O Sentir


O Sentir, uma necessidade da
nossa mente que supre algo
que o próprio inconsciente nos
obriga a acreditar que nos falta,
seja ele amor, ódio, raiva, saudade,
enfim qualquer tipo de sentimento
que muita gente acha que
é criado no coração, mas a realidade
é que tudo é feito na nossa cabeça,
em nosso cérebro, na parte "pensante" do nosso corpo.
Mas será que é pensante mesmo?
Será que que o ser humano precisa realmente
sentir essas coisas que julgamos ruim?
Na minha humilde opinião sim!
Por que infelizmente querendo ou não isso é o viver,
é tentar suprir as nossas necessidades
biológicas e culturais ao longo da vida,
se manter estável em relação a
todas essas nossas "obrigações" cerebrais
e sempre estar preparado para a inevitável morte.
E essa é vida, sempre simples,
só o ser "pensante" humano quer complicar,
achando que vai descobrir os
"porquês da vida" que nem existem,
que não passa de paranóia de suas cabeças
e nem precisam ser tão valorizadas como são.
Porque o único propósito de nossas vidas
é apenas o viver, simples assim!

10 comentários:

karine disse...

Aew!Acordadíssimo! rs,mas é isso mesmo meu...existimos com o simples e único objetivo de existir. Precisamos mesmo sentir pois fazemos parte de um todo e esse todo é o que forma a vida e a nao vida,o universo, o "deus",e tudo isso é feito de caos,ações,reações e processos.
Usamos isso que chamamos de sentidos e sentimentos para que possamos interagir com essa grande existência.
Por isso a melhor solução é sentir mais e pensar menos, pois o sentir da resultados na pratica, e o pensar só na teoria. E ninguem vive de teorias. =)

Rodrigo disse...

é..eu penso a mesma coisa ein pemba..e keria falar tbm ke o coments da Karine ta foda rssrs

Marina disse...

meu objetivo: viver intensamente, longamente e proveitosamente o máximo que eu puder.

Claudio disse...

Bem concordo com você em parte...
acho que nós complicamos a vida em algumas coisas, acho que nós humanos não viveriamos de outra formo por que nós não somos como gelaeeira micro-ondas e etc, nós somos unicos mas temos em comum muitas coisas.
somos os unicos do planeta inteiro e quem sabe do universo que brigam por coisas inuteis mas muito valorizadas por nosos semelhantes, não estou dizendo em coisas futei, estou dizendo de coisas que precisamos pra que não deviamos precizar.

mas com tudo simples porem muito complicado (apesar que isso não faz nenhum sentido)

D.A disse...

Bom, na verdade nós já nascemos com uma única certeza de destino, a morte.
Crescemos aprendendo a lidar com ela e nos programando.
E no final, percebemos que passamos tanto tempo nos preocupando com a morte que, muitas vezes, esquecemos de viver.
Sentimentos? Servem para que, no fim, possamos dizer que nossa vida valeu a pena.
Servem também para fazer valer a pena a vida de outras pessoas.
Quanto mais pessoas ajudarmos no decorrer da nossa jornada, mais valorizamos e justificamos a nossa morte, por exemplo: Morremos porque fizemos aquilo que deveríamos fazer, Morremos porque tínhamos que dar lugar para outros também fazerem aquilo que devem, Morremos porque Vivemos! Cabe a nós, por meio dos sentimentos, dizer se vivemos bem ou mal. E se isso valeu a pena.
Portanto, assim como disse a mina aí de cima, Sinta!
Pois sentindo Vivemos!
E Vivendo, Morreremos por um Propósito!
E esse Propósito, é o que nos trará Paz!
A Paz que nos deixarão Descansar!
Descansarmos em Paz...

Amanda Proetti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Proetti disse...

Sentimento, pensamento, coisas não palpáveis, mas de um poder devastadoramente oceânico!
Anos atrás eu tinha o hábito mais frequente de parar para refletir sobre tudo isso e outros "porquês" da vida, e sempre me intrigou pavorosamente o poder que tem sobre nós o mundo não palpável! É incrível que coisas que não podemos ver, nem tocar, só sentir, possam nos mover, mover a vida dentro de nós.
E uma caixinha valiosa foi criada especialmente pra guardar essas "coisinhas": a ALMA. Como minha caixa de sapatos, devo estar na 5ª ou 6ª, que sempre usei para guardar as coisas "preciosas", palpáveis, por materializarem as não palpáveis. De tempos em tempos ela é substituída, assim como os seus pertences... dercartados, acrescidos ou renovados...
E se viver é "simples", não é menos importante que seja "incrementado" pelas coisas da CAIXINHA DA VIDA, que é a verdadeira responsável pelos elementos físicos imprescindíveis, como o próprio ar pra respirar...

Luciano disse...

Penso, logo existo. Sinto, logo sofro?

Yara Arruda disse...

O "ser pensante" se afoga em seus próprios pensamentos... Se for para se martirizar, melhor nem pensar! ;D
Como diria Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa: "Creio no mundo como um malmequer, porque o vejo. Mas não penso nele porque pensar é não compreender".
E tá super certo.

Camila Caringe disse...

Penso, logo sinto. E, por causa de ambos, existo. Útil fado.